O que é um exame raio-x, por que é usado e quais cuidados devem ser tomados?

By | É Bom Saber | No Comments

Saiba como funciona a radiografia e quais são seus benefícios e recomendações – ela vai muito além das fraturas ósseas.

O raio-x, também conhecido como radiografia, é um exame de imagem não invasivo que utiliza baixas doses de radiação para detectar rapidamente alterações na estrutura de ossos e órgãos.

Por ser barato, rápido e útil na investigação de diversas doenças, é amplamente utilizado, por exemplo, nas unidades de emergência e terapia intensiva de hospitais de todo o país.

Qual é o objetivo do raio -x?

Ao utilizar um raio -x, o teste procura fraturas nos ossos e também pode ajudar a identificar doenças como pneumonia. No entanto, existem outras indicações, como a avaliação de doenças graves na região do abdômen, inflamações por infecções e comprometimento de vasos pulmonares e aéreos.

Os dentistas também usam a radiografia odontológica para ver como estão os dentes e suas raízes. Os princípios do raio -x também são usados ​​em mamografia, angiografia digital e cateterismo, mas apenas para examinar o estado das mamas no primeiro teste e o estado dos vasos sanguíneos nos outros dois.

Por exemplo, um osso denso bloqueará a maior parte da radiação. Como resultado, ele será lembrado como um ” sombra” escura na foto. Quanto mais escura a cor, mais densa a textura.

A “fotografia” é completada em segundos, e as imagens bidimensionais são reveladas em uma chapa minutos depois.

Os resultados

Os médicos procuram anormalidades na densidade das estruturas do corpo. No caso de osso quebrado, a fratura permite a passagem de radiação, e a área machucada é sinalizada na chapa como um corte escuro. Mas preste atenção: em muitos casos, apenas os olhos treinados de um profissional conseguem perceber essas fissuras.

Quando se trata de órgãos que deveriam estar mais escondidos devido à sua menor densidade, como pulmões e intestinos, a busca é por partes óbvias que não deveriam estar ali.

Vale ressaltar que, no mundo de hoje, o raio-x é frequentemente visto como nada mais do que um teste de triagem. Ou, dito de outra forma, ele levanta uma suspeita que deve ser investigada com métodos diagnósticos mais sensíveis e específicos.

Precauções e contraindicações

Para evitar a degradação da qualidade da imagem, o paciente não pode usar metal, plástico, madeira ou vidro na área a ser examinada. Eles obstruem a passagem da luz.

A radiação emitida pelos aparelhos – principalmente os mais sofisticados – é segura, desde que a pessoa não fique exposta a raios X o tempo todo.

A radiação em excesso pode causar câncer, embora isso só aconteça com doses altas e repetidas.

Indivíduos submetidos a exames devem usar protetor de chumbo colete, que bloqueia os raios X – a menos que seja avaliado o tórax ou o abdome. 

O uso do raio-x não é recomendado para gestantes.

Periodicidade

É solicitado conforme a necessidade e suspeita médica. 

 

Está precisando realizar um raio-x? 

Conte com a Clínica Galdino Campos! 

 

Por que a Austrália deve ser seu próximo destino?

By | É Bom Saber | No Comments

Clima tropical, praias, florestas, pessoas gentis e paisagens de tirar o fôlego. Não será surpresa para todos que você se sentirá à vontade na Austrália. 

Quando pensamos na Austrália, vem à mente o animal simbólico do país, o canguru, ou a icônica Sydney Opera House. Não, nenhuma das opções acima não faz justiça ao país, mas a Austrália é muito mais do que isso. Ela é um país fascinante e único que oferece uma diversidade de paisagens, incluindo desertos, praias, florestas tropicais e serras. Além de excelente gastronomia e uma população simpática. 

Viajar pela Austrália revela uma incrível diversidade de vida selvagem, desde o título de país com os animais mais peçonhentos até os fofos coalas e cangurus. Seu povo é muito parecido com os brasileiros, que são simpáticos e agradáveis.

Confira os 5 motivos para amar Austrália e se mudar para lá agora mesmo 

 

  1. Qualidade de vida

O custo de vida é alto, mas vale a pena se você considerar um bom transporte público, segurança nas ruas e boas opções de moradia.

Ninguém anda na rua jogando lixo no chão porque as ruas extremamente limpas. As pessoas têm fé em coisas simples, como passar suas próprias compras na saída do mercado. Em geral, as empresas respeitam a vida pessoal de seus funcionários fora do trabalho, e os escritórios são fechados às 18 horas. Se você é depiladora ou caixa de supermercado, duas profissões que não são muito populares aqui, você terá uma vida confortável lá, com casa própria, carro, viagens e tudo mais.

  1. A facilidade de viajar

A Austrália é um país bem localizado para quem gosta de viajar.

De costa a costa, há uma infinidade de opções para se apaixonar pela beleza do país. Famosos destinos de surf, áreas escondidas para quem procura uma experiência única, o deserto vermelho, os icebergs, a Grande Barreira de Corais, a praia mais branca do mundo (Jervis Bay), as belas Whitsundays, os 12 apóstolos, e por aí vai!

  1. O lifestyle 

Acordar e dar um pulo na praia é comum na vida australiana, especialmente se você estiver acompanhado de uma prancha. Parques abertos para quem gosta de ler, fazer churrasco ou sentar na grama na hora do almoço e beber uma taça de vinho.

  1. A diversidade de culturas

A Austrália, como país plural, é uma mistura de várias nacionalidades e culturas. Inicialmente colonizada por europeus no século XVII, os primeiros forasteiros dessas terras foram os ingleses, que a utilizaram como colônia, e com o passar dos séculos, mais europeus buscaram oportunidades nas terras dos aborígenes. Desde a época dos Jogos Olímpicos, a presença da comunidade asiática tornou- se cada vez mais proeminente, devido à sua proximidade geográfica. Em seguida, surgiram latino americanos e outros de todo o mundo. Para estudar, trabalhar, ou simplesmente pegar uma casquinha da terra dos cangurus .

  1. Praticar esportes aquáticos

Que imagem você tem de um australiano? Imagine aquela pele bronzeada e uma barba bronzeada de incontáveis ​​horas de banho de sol.

A Austrália tem uma cultura de praia, além de sol, ondas e uma variedade de outras atividades ao ar livre. Surfar, velejar, praticar kitesurf, windsurf, SUP e mergulho fazem parte do dia a dia de quem gosta de água.

Os pontos de surf mais conhecidos incluem Gold Coast, Byron Bay, Margaret River e Bells Beach, mas também há vários pontos menos conhecidos para explorar.

Está pensando em se mudar ou viajar para a Austrália?

Realize todos os exames solicitados pelos consulados aqui na Clínica Galdino Campos. 

 

Pedras nos rins: entenda como elas se formam e como evitá-las

By | É Bom Saber | No Comments

Os rins funcionam como grandes filtros para o sangue. Além de transformar a água em urina, também retêm ácidos úricos e cálcio. Quando há substâncias em grandes quantidades de líquido para dissolvê-las, podem aparecer cristais que incham e se tornam pedras, de tamanhos que podem variar.  

As pedras causam dores intensas e requerem atenção médica imediata. 

Infelizmente, essas pedras depois de formadas podem causar dores fortes por bloquearem o sistema urinário. Quando essas pedras passam pelo ureter, um canal estreito que leva a urina diretamente para a bexiga, pode haver dor intensa.

Antes de passar por essa situação, entenda e evite todos os fatores que podem causar as pedras nos rins, como:

  1. Genética: dependendo do seu histórico familiar, os fatores genéticos podem gerar uma grande chance de desenvolver a doença;
  2. Pouca ingestão de líquidos: pessoas que não tem o costume e acabam ingerindo pouca água podem ter mais propensão de gerar as pedras; 
  3. Hábitos alimentares: se você mantém uma dieta rica em sódio, refrigerantes, alimentos industrializados ou com muito cálcio pode sofrer a formação de cálculos.
  4. Outras doenças: o uso frequente de medicamentos diuréticos, obesidade, inflamações gastrointestinais, cirurgias e diarréias crônicas aumentam as chances de formação de pedras. 

Sintomas comuns:

Se as pedras estiverem circulando dentro do rim, você não sentirá dor ou incômodo. O problema só poderá ser diagnosticado por exame de imagem ou urina. Mas se as pedras cruzarem o fluxo da urina os sintomas comuns são: 

  • Ardência na hora de urinar;
  • Sangue na urina;
  • Dor frequente nas costas;
  • Cólicas;
  • Vontade de urinar sem necessidade de expelir líquidos;
  • Náuseas.

As melhores maneiras de evitar pedras nos rins

Há diversos hábitos que podem ajudar o corpo a evitar o mal das condições dolorosas da doença. Verifique as três recomendações que evitam a formação de cálculos renais:  

  • Ingira líquidos

A correria do dia a dia pode muitas vezes tirar o foco das necessidades básicas do corpo. Preste atenção em quantos litros de água você toma por dia. 

Se você não tem o costume de beber água, um copo de suco de laranja ou de limão por dia também pode ajudar. Aproveite as horas de exercício para se hidratar! É um mito que as pessoas com pedras no rins não podem levantar peso ou se exercitar. Pelo contrário, o exercício ajuda a melhorar significativamente a doença renal. 

  • Evite consumir muita proteína

Consumir muita proteína é um risco em potencial para o desenvolvimento de cálculos renais. Dietas ricas em proteínas podem sobrecarregar a taxa de filtração do órgão e aumentam a acidez da urina, produzindo excrementos de cálcio. Devido o sal ser rico em sódio, reduza a quantidade nas suas refeições.  

Consulte um nutricionista. A Clínica Galdino Campos tem profissionais especializados para ajudar a evitar essas complicações. Você será orientado sobre  a quantidade ideal de proteína que sua dieta precisa ter.  Saiba também se seu corpo tem água suficiente para o funcionamento correto dos órgãos e previna essa doença. 

Exercícios diários podem ajudar a reduzir o risco de Alzheimer e o Câncer

By | É Bom Saber | No Comments

Sem dúvidas, os exercícios físicos melhoram o bem-estar geral e a saúde, além de melhorar a circulação sanguínea e as condições do coração e dos pulmões.

Essa prática pode ajudar a elevar o humor, fortalecer músculos e aumentar a resistência. 

Atualmente, os pesquisadores estão em busca de novas atividades que possam reduzir os riscos de grandes doenças, como câncer e Alzheimer. “Se o exercício pudesse ser engarrafado e vendido na forma de pílula, seria o medicamento mais amplamente prescrito no mundo pelos inúmeros benefícios à saúde física e mental”, disse Todd Buckingham, PhD, fisiologista do exercício Mary Free Bed Sports Rehabilitation & Performance Laboratório em Wyoming, Michigan.

 “Alguns mecanismos por trás do motivo pelo qual a atividade física auxilia na redução do câncer são as mudanças fisiológicas positivas no corpo. Isso inclui perda de peso, tornando o coração mais forte, fazendo com que as artérias se dilatam mais rapidamente, permitindo um melhor fluxo sanguíneo através do corpo e reduzindo o colesterol LDL ‘ruim’ enquanto aumenta o colesterol HDL ‘bom’ ”, disse Buckingham

 “O Alzheimer ocorre devido a um aumento do estado oxidativo no cérebro e estudos têm mostrado que a atividade física é importante para células e tecidos resistirem ao estresse oxidativo”, disse o Dr. Santoshi Billakota, neurologista, epileptologista e professor assistente clínico do Departamento de Neurologia da NYU Grossman School of Medicine.

Os exercícios também aumentam a oxigenação e o fluxo sanguíneo, resultando em melhora da memória, neurogênese e plasticidade cerebral. Outro benefício é a prevenção e progressão de demências, incluindo a doença de Alzheimer.

Alzheimer 

Esse estudo mostrou que mesmo em pessoas com mais de 80 anos, atividades físicas ou exercícios físicos diários, podem reduzir o risco de declínio cognitivo e a doença de Alzheimer. Os idosos que não são capazes de fazer exercícios podem se beneficiar com um estilo de vida mais ativo, com outras atividades como cozinhar, lavar pratos e até fazer limpeza.

Foram estudados 716 idosos voluntários sem demência e com idade média de 82 anos, utilizando um dispositivo chamado actigráfico que monitora a atividade pelo pulso durante dez dias. Os participantes também realizaram testes cognitivos para medir a atividade da memória e habilidades de pensamento. 

O estudo descobriu que as pessoas que não faziam mais do que 10% de atividades físicas tinham mais que o dobro da probabilidade de desenvolver Alzheimer durante 3,5 anos de acompanhamento. Outros 71 participantes desenvolveram Alzheimer e tinham três vezes mais chances de a doença progredir do que as pessoas que praticam atividades físicas. 

Pessoas que têm a idade avançada podem evitar a doença praticando atividades moderadas, de baixo custo, acessíveis e livres de efeitos colaterais como jogo de cartas ou jogo da memória. 

Câncer

Há muitas evidências que mostram o quanto exercícios físicos impactam beneficamente na saúde, principalmente no combate ao câncer. Em muitas pesquisas anteriores, a atividade física mudou o sistema imunológico, capacitando-o a lutar contra o crescimento de tumores. 

Atividades diárias podem aumentar células do sistema imunológico e os níveis de substâncias anti inflamatórias, reduzindo a chance de crescimento das células cancerígenas.

Em 2016, o JAMA Internal Medicine concluiu que,  se nos tornarmos ativos, a incidência da doença cairia em 69%, reduzindo a chance de desenvolver 13 tipos de câncer, entre eles, câncer de mama, bexiga, sangue e reto.

Se cada um de nós puder acomodar na rotina pelo menos 45 minutos de exercícios simples, como caminhadas, poderíamos reduzir nossas chances de desenvolver muitos tipos de doenças.

Mantenha sempre seus exames em dia e faça seu check-up anual.

A Clínica Galdino Campos tem prazer em cuidar de você e da sua família. 

Autora: Eileen Bailey / Fonte: HealthLine.

Retinoblastoma, entenda o câncer comum nos olhos das crianças.

By | É Bom Saber | No Comments

O que é Retinoblastoma?

Este câncer afeta a retina de um ou ambos os olhos principalmente em crianças até os 5 anos de idade. Um dos sintomas principais é a leucocoria, que causa uma faixa branca na pupila, popularmente conhecida como olho de gato. Esse tumor maligno raro pode se desenvolver de duas formas, mutações em algumas células ou por meio da hereditariedade. 

Uma maneira de diagnóstico precoce desse tumor, é através do Teste do Olhinho, um exame de triagem simples, rápido e indolor realizado em bebês recém-nascidos capaz de identificar se há a presença de alguma doença nos olhinhos do bebê, como a retinoblastoma.

Os primeiros sintomas 

Os principais e primeiros sintomas do retinoblastoma são a fotofobia, heterocromia, estrabismo, sangramento ocular e vermelhidão. 

Em estágios mais avançados da doença, o tumor cresce e a criança pode ter dor nos olhos, dores de cabeça, globos oculares maiores que o normal e perda parcial ou total da visão. 

Possíveis tratamentos

Felizmente, esse câncer é curável e na maioria dos casos a principal solução é remover o tumor e salvar a vida da criança, preservando a visão e os olhos do retinoblastoma. Esses processos podem ser feitos através de laser para tumores pequenos, crioterapia para o processo de congelamento e destruição dos tumores, e quimioterapia para reduzir o tamanho desse tumor para evitar que ele se multiplique. Caso, mesmo assim, não haja solução para o problema, será necessário a remoção do globo ocular por meio de cirurgia. 

Na Clínica Galdino Campos você conta com oftalmologistas pediatras que estão disponíveis e auxiliam em qualquer tratamento ou diagnóstico. 

Fevereiro Roxo e Laranja: mês de conscientização sobre Fibromialgia, doença de Alzheimer, Lúpus e Leucemia.

By | É Bom Saber | No Comments

O mês de fevereiro tem uma campanha especial, alertando sobre as doenças de Fibromialgia, Alzheimer, Lúpus e Leucemia. Essas doenças são difíceis de diagnosticar e não tem cura, porém, com a informação precoce pode auxiliar a manter o controle e ajudar na qualidade de vida. 

O fevereiro roxo e laranja traz a conscientização e importância de estar sempre alerta com a saúde, e possíveis sintomas que podem diagnosticar a doença. 

Fibromialgia 

O principal sintoma da síndrome é a dor crônica em todo o corpo, nos músculos, articulações, tecidos moles e tendões. Também pode causar problemas no sono, depressão e fadiga. 

Os sintomas podem ser bem perceptíveis como dor em todo o corpo, fadiga frequente, problemas para dormir, rigidez muscular e problemas de memória e concentração.

Alzheimer

Essa doença é neurodegenerativa e avança de forma progressiva, caracterizada por comprometer a área cognitiva da memória de curto prazo. Com o tempo, os sintomas neuropsiquiátricos podem piorar juntamente com variações no comportamento. 

Alguns sintomas são visíveis e podem incluir a falta de memória recente, dificuldade em acompanhar conversas, repetição da mesma pergunta, incapacidade de resolver problemas. 

Lúpus

O lúpus pode prejudicar variados órgãos e tecidos, como cérebro, rins, pele e articulações. Por ser uma doença inflamatória e caso não receba a atenção ou cuidados devidos, pode ser fatal.  

Os sintomas podem começar com dores nas articulações, fadiga, vermelhidão nas bochechas e ponta do nariz, febre e falta de ar.

Leucemia

A doença tem a característica de acumular células doentes ou uma proliferação descontrolada dessas células malignas nos glóbulos brancos. Quando isso acontece, esse acúmulo de células doentes prejudica a função da medula óssea que produz células sanguíneas normais, substituindo-as e dificultando o potencial que o organismo tem de combater infecções.

Nos estágios iniciais, os sintomas não são tão óbvios e variam dependendo do tipo de leucemia, podendo incluir anemia, dor óssea e nas articulações, fadiga, febre, perda de peso e de apetite, falta de ar e infecções recorrentes.  

Infelizmente não é possível, ou ainda não há uma maneira conhecida de prevenir essas doenças. Mas há conselhos que permitem e oferecem uma vida mais saudável, como manter práticas de exercícios estimulantes, exercícios aeróbicos, cuidados com a saúde emocional, evitar o fumo e manter uma boa alimentação. Faça check-ups regulares e aprenda bons hábitos de saúde. 

Janeiro Branco: a importância do sinal de alerta para a saúde mental

By | É Bom Saber | No Comments

Janeiro é o mês dedicado à conscientização à saúde mental e emocional. A campanha tem como objetivo fazer com que as pessoas falem livremente sobre o que estão sentindo e exponham seus pensamentos, de modo a reforçar a importância dos cuidados, principalmente no que diz respeito à pandemia de Covid-19.

Iniciada desde 2014, a campanha foi idealizada para o mês de janeiro, pois se trata de uma época do ano em que as pessoas estão refletindo sobre a vida e pensando nas metas para o novo ano. O evento promove palestras, oficinas, workshops, entrevistas e rodas de conversas para conscientizar a população a falar abertamente sobre o assunto. Os eventos geralmente ocorrem em hospitais, clínicas, igrejas e até mesmo em espaços públicos como praças.

Dados importantes para a conscientização

O Brasil é o país mais ansioso do mundo (9,3%) e o segundo maior das Américas em depressão (5,8%), de acordo com estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS). A saúde mental representa mais de um terço da incapacidade total do mundo com transtornos depressivos e ansiosos como maiores causas.

Ela também causa reflexos no desenvolvimento econômico, sendo uma das principais causas de afastamento do ambiente de trabalho, sobretudo, relacionado a pandemia do Coronavírus, o que gerou um grande estigma pessoal de incapacidade. Segundo a pesquisa da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), as incertezas relacionadas ao vírus e as mudanças impostas pelo isolamento social, causaram um aumento de 80% nos casos de depressão e ansiedade durante o ano de 2020.

Cuidados e recomendações

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançou uma série de cartilhas com os cuidados e recomendações para enfrentar os desafios à saúde mental. As publicações são destinadas a grupos específicos que incluem: profissionais do serviço de saúde, gestores, psicólogos hospitalares, crianças, e cuidadores de idosos com reações comportamentais frequentes, por exemplo. Algumas das recomendações são:

  • Reconheça e acolha seus receios e medos, procurando pessoas de confiança para conversar; 
  • Retome estratégias e ferramentas de cuidado que tenha usado em momentos de crise ou sofrimento e ações que trouxeram sensação de maior estabilidade emocional; 
  • Invista em exercícios e ações que auxiliem na redução do nível de estresse agudo (meditação, leitura, exercícios de respiração, habilidades manuais);
  • Se você estiver trabalhando durante a epidemia, fique atento às suas necessidades básicas, garantindo pausas sistemáticas durante o trabalho (se possível em um local calmo e relaxante) e entre os turnos. 
  • Invista e estimule ações compartilhadas de cuidado, evocando a sensação de pertencimento social (como as ações solidárias e de cuidado familiar e comunitário) 
  • Mantenha ativa a rede socioafetiva, estabelecendo contato, mesmo que virtual, com familiares, amigos e colegas; 
  • Evite o uso do cigarro, álcool ou outras drogas para lidar com as emoções; 
  • Busque um profissional de saúde quando as estratégias utilizadas não estiverem sendo suficientes para sua estabilização emocional; 
  • Busque fontes confiáveis de informação e reduza o tempo que passa assistindo ou ouvindo coberturas midiáticas.

Clínica Galdino Campos – sempre apoiando e valorizando à sua saúde

A Clínica Galdino Campos participa ativamente nesta campanha, trazendo informações, cuidados e recomendações importantes para ajudar na vida das pessoas.

Preparamos este artigo para você se conscientizar sobre a campanha e lhe ajudar a vencer este problema.

Principais tipos de doença no sangue: quais são e como prevenir?

By | É Bom Saber | No Comments

 

O sangue exerce um papel fundamental no organismo humano, pois é ele quem transporta o oxigênio e nutrientes para os tecidos, assim como garante que o dióxido de carbono seja levado aos pulmões e os hormônios façam suas funções em diversas partes do corpo.

Entretanto, existem doenças que merecem nossa atenção redobrada. A boa notícia é que, quando diagnosticadas em seu estágio inicial, podem ser tratadas e devidamente controladas.

Neste artigo você acompanhará quais são as principais doenças no sangue, seus sintomas e como tratá-las.

 

  • Anemia

A anemia é caracterizada pela queda na quantidade de hemoglobina (pigmento que dá cor aos glóbulos vermelhos presentes no sangue). Ou seja, os valores indicados no hemograma são inferiores aos considerados normais. Uma pessoa anêmica possui carência de nutrientes essenciais ao organismo, como ferro, zinco, proteínas e vitaminas B12.

Os principais sintomas são fadiga, palidez e falta de apetite, normalmente desenvolvidas em gestantes, lactantes, crianças e adolescentes. O tratamento é realizado por meio de medicamentos e alimentos ricos em ferro.

 

  • Anemia falciforme

Este tipo de anemia é um pouco mais incomum e afeta diretamente a produção de glóbulos vermelhos no sangue, resultando na dificuldade de do transporte do sangue para todos os tecidos do corpo.

Têm como principais sintomas: fortes dores nas articulações, palidez, fadiga em excesso, cálculos biliares, infecções constantes, feridas nas pernas e falha no crescimento.

Infelizmente, não há cura para a doença e, por esta razão, deve ser acompanhada regularmente por um médico.

 

  • Hemofilia

É um distúrbio causado quando não há coagulação adequada no sangue. A pessoa que possui essa doença apresenta sangramento em excesso após um ferimento ou lesão.

Os principais sintomas dessa doença são hematomas grandes intensos, sangramentos sem motivos aparentes e inchaços nas articulações. O tratamento é realizado por aplicações de injeções de plasma e coagulantes.

 

  • Transtornos de plaquetas

As plaquetas têm como principal função combater a perda de sangue causada por cortes e lesões ocasionadas quando elas apresentam um número maior ou menor em sua produção.

Por este motivo, aumentam os riscos de desenvolver doenças como artrite, linfoma ou leucemia (caso as plaquetas estejam altas), lúpus, hiperesplenismo e púrpura trombocitopênica idiopática (caso as plaquetas estejam baixas).

As principais ações para o tratamento são interromper e evitar medicamentos que causem hemorragias, além de estar sempre em constante contato médico.

 

  • Distúrbio das células sanguíneas

É uma das principais doenças no sangue, pois é caracterizado pela desordem na produção de glóbulos brancos tanto para mais quanto para menos. Um menor número dessas células dificulta o combate de infecções no organismo, enquanto um maior número pode ser o caso de leucemia.

Especialistas na área de saúde recomendam que as pessoas façam um check-up ao menos uma vez ao ano, para verificar se há enfermidades no organismo. Através do hemograma é possível detectar, prevenir e tratar as doenças no sangue logo em seu estágio inicial e, consequentemente, ter uma melhor qualidade de vida.

Mas para um tratamento de qualidade, você precisa de uma clínica e médico de sua confiança. A Clínica Galdino Campos está sempre pronta para lhe proporcionar o melhor atendimento ao cuidar da sua saúde.

 

Checkup de ano novo: uma lista de exames para garantir mais saúde em 2022.

By | É Bom Saber | No Comments

 

Que a pandemia da Covid-19 mudou as prioridades aqui e no mundo, não é novidade. Mas você sabia que isso chegou a afetar o perfil das resoluções de ano novo das pessoas?

Sim, depois dessa experiência, a saúde passou a ter destaque.

Para dar uma ideia do quanto, uma pesquisa realizada no final do ano passado nos Estados Unido revelou que 66% dos participantes que costumam botar seus projetos no papel pretendiam incluir nas suas listas metas ligadas à saúde em geral (mental, nutritiva etc.). E este foi o primeiro tema mais comum.

O segundo também não foge muito desse assunto: foi o condicionamento físico. Os dois ficaram na frente das metas de finanças pessoais e produtividade, por exemplo, respectivamente em terceiro e quarto lugares.

Para ajudar você, que também vai se comprometer a viver melhor, mais bem disposto e cheio de energia, a Clínica Galdino preparou este artigo. Ele foi feito para orientar você em relação aos checkups anuais e, para isso, traz os exames mais importantes para cada idade e perfil.

Continue lendo para saber. E, claro, não se esqueça de incluir na sua rotina uma alimentação balanceada, atividades físicas e práticas de relaxamento e bem-estar, entre outros cuidados essenciais.

Quais exames clínicos, laboratoriais e de imagem você precisa fazer?

Antes, um alerta. Essa lista não é personalizada. Dependendo do seu histórico pessoal e familiar, do seu contexto de vida atual e de muitos outros fatores, é bem possível que você precise acrescentar outros exames mais específicos.

De qualquer forma, segue o básico que deve ser feito todo ano.

Para todos:

  • Exame de fezes e urina;
  • Exame de sangue completo.

Para quem tem mais de 40 anos:

  • Eletrocardiograma e ecocardiograma;
  • Teste ergométrico;
  • Aferição de pressão arterial.

Para mulheres:

  • A partir de 18 anos (ou no início da vida sexual): preventivo;
  • A partir dos 30 anos: ultrassonografia transvaginal;
  • A partir dos 40 anos: mamografia.

Para homens a partir dos 40 anos:

  • Toque retal;
  • Dosagem da enzima de Antígeno Prostático Específico (PSA).

Exames oftalmológicos:

  • Recém-nascido: teste do olhinho;
  • De 0 a 2 anos: exames de rotina a cada 6 meses;
  • Idade escolar: exames para detecção de estrabismo e de erros de refração;
  • Adolescentes e jovens adultos: exames para detecção de miopia e de ceratocone.
  • A partir de 40 anos: exames para detecção de erros de refração, além de prevenção do glaucoma e do diabetes;
  • Terceira idade: exames para detecção de glaucoma, catarata e degeneração macular associada à idade (DMRI)

Para garantir um ano saudável.

No dia a dia, a gente não pensa nisso, mas a prevenção é uma forma importante de amor-próprio. Como sentido durante a pandemia, ter um organismo fortalecido é o bem mais importante que qualquer pessoa pode ter.

A Clínica Galdino deseja a todos um ano próspero e saudável. E lembra que você e a sua família podem contar conosco para isso.

Vitamina D: o que é, qual a importância, onde encontrar e como tomar.

By | É Bom Saber | No Comments

Sim: o sol é o maior aliado para a produção e absorção de vitamina D. Em relação a isso, quem vive aqui no Rio de Janeiro pode se considerar privilegiado.

Mas existem outras fontes desse nutriente fundamental para manter o perfeito funcionamento do nosso organismo, colaborando especialmente com o vigor e a força dos nossos ossos e músculos.

O tema é tão relevante que a Clínica Galdino não poderia deixar de falar sobre ele.

Continue lendo e descubra a importância de seguir uma dieta e uma rotina que favoreçam a presença – na dosagem certa – desse poderoso agente da nossa saúde. Principalmente nesse momento em que ainda não é recomendável sair muito por conta da Covid-19.

 

O que é vitamina D?

Primeiro é bom saber que a vitamina D é mais do que uma vitamina. Quer dizer, ela pode ser obtida pela nutrição também. Mas a maior parte dela é produzida pelo nosso corpo a partir da luz do sol.

Por conta disso, ela é considerada um hormônio esteroide e, entre outras funções, colabora com:

• a saúde dos ossos e o crescimento;
• o fortalecimento da imunidade e da musculatura;
• o metabolismo; e
• alguns órgãos e sistemas, por exemplo: o cardiovascular e o nervoso central.

Qual a importância da vitamina D para o ser humano?

Para dar uma ideia do quanto ela faz diferença no nosso organismo, veja alguns problemas que a carência dessa vitamina pode provocar:

• raquitismo;
• tetania hipocalcêmica;
• enfraquecimento e desmineralização dos ossos, chegando em alguns casos a desencadear uma osteoporose e maiores chances de fraturas;
• doenças cardiovasculares;
• câncer de cólon e de próstata;
• esclerose múltipla;
• perda das funções cognitivas e neuromusculares, levando a um desequilíbrio mental e corporal;
• queda de cabelo;
• cansaço;
• enfraquecimento do assoalho pélvico;
• diabete melitus tipos 1 e 2;
• doenças inflamatórias etc..

Onde a vitamina D é encontrada?

Além do comentado acima – que nosso corpo mesmo produz vitamina D a partir dos raios ultravioletas (UV), ela também pode ser encontrada em:

suplementos;
alimentos, como:

  • cogumelos;
  • salmão;
  • truta;
  • atum;
  • cavala;
  • óleos de fígado de peixe;
  • queijos;
  • gema de ovo;
  • carnes bovina, suína, de frango e de peru;
  • e leite.

Quem faz parte do grupo de risco de carência de vitamina D?

Em geral, quem toma sol com frequência – até meia hora por dia antes das 10h ou depois das 16h – e segue uma alimentação balanceada, não precisa de suplementos. Mas isso vai depender de você não:

• ter qualquer distúrbio gastrointestinal (incluindo intolerância ao leite);
• ter osteoporose;
• ter passado por uma cirurgia para emagrecer;
• fazer tratamento com anticonvulsivos;
• ser um bebê em fase de amamentação;
• apresentar muitas melaninas na pele;
• ter distúrbios que limitam a absorção de gordura;
• ser vegano;
• estar na pós-menopausa ou com amenorreia (no caso das mulheres).

Nestes casos ou para quem já passou dos 70 anos, é recomendável avaliar com frequência as doses dessa vitamina no organismo.

Cuidado importante: os limites.

Apesar de colaborar tanto com o nosso corpo, o excesso de vitamina D pode elevar a absorção de cálcio a ponto de criar uma intoxicação.

Isso pode levar a um quadro de insuficiência renal, com calcificação dos tecidos em geral pelo organismo, arritmias cardíacas e até mesmo a morte.

Por isso é muito importante que, nos casos dos suplementos, eles sejam acompanhados de perto por um médico. Principalmente se você faz parte do grupo de risco, vale a pena agendar uma consulta aqui na Clínica Galdino e avaliar.